Antena Livre
Deseja receber notificações?

Abrantes: Nova escola de Abrantes passa a chamar-se Escola Básica Maria de Lourdes Pintasilgo (c/áudio)

15/02/2023 às 17:49

Escola Básica Maria de Lourdes Pintasilgo é, desde dia 10 de fevereiro, o nome oficial da nova escola de Abrantes que funciona no antigo Colégio de Nossa Senhora de Fátima. Recorde-se que a escola ainda não foi inaugurada, mas entrou em funcionamento o início deste ano letivo com salas de Jardim de Infância e do Primeiro Ciclo. Aliás, a entrada das crianças até se faz por portas diferentes, consoante sejam para a escola ou para o jardim de infância.

A informação sobre esta homologação foi apresentada na última reunião do executivo municipal em que o presidente Manuel Jorge Valamatos apresentou a correspondência do Delegado Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo que informou a autorização de alteração do nome da Escola Básica de Abrantes que passa agora a adotar a denominação de Escola Básica Maria de Lourdes Pintasilgo. Esta foi uma proposta do Município que pretende homenagear “esta extraordinária abrantina, figura incontornável do panorama cultural, social e político português.”

Em novembro passado, a Câmara Municipal de Abrantes aprovou por unanimidade a proposta de atribuição do nome à nova escola que iniciou a sua atividade em setembro do ano passado para o presente ano letivo, após as obras de requalificação do edifício do antigo Colégio de Fátima, escola provada que durante 75 anos exerceu funções em Abrantes.

A notar que Maria de Lourdes Pintasilgo nasceu em Abrantes a 18 de janeiro de 1930, na antiga Rua do Brasil, onde viveu até aos 12 anos. O seu percurso começou a diferenciar-se quando se formou em Engenharia Química, durante os anos 50 do século XX. Ligada aos movimentos estudantis católicos, entrou na vida política antes da revolução de 1974, foi a primeira mulher Secretária de Estado, a primeira a assumir uma pasta ministerial, única primeira-ministra, primeira embaixadora e primeira mulher a candidatar-se à Presidência da República.

Para o presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, “esta é uma justa homenagem a uma mulher humanista e figura incontornável do panorama cultural, social e político português e o seu nome naquela escola contemporânea ajusta-se muito bem”.

 

Manuel Jorge Valamatos, presidente CM Abrantes 

Mesmo assim ainda houve alguma divergência de opiniões entre o vereador eleito pelo PSD, Vítor Moura, e o presidente da Câmara. A divergência não teve a ver com nome atribuído, mas Vítor Moura releva o facto de existirem abrantinos que poderiam ser homenageados, por exemplo, o ex-presidente da Câmara José “Bioucas”. Afirmou o eleito pelo PSD que Maria de Lourdes Pintasilgo apenas nasceu em Abrantes não tendo deixado qualquer marca local.

“Estamos completamente alinhados com o valor de Maria de Lourdes Pintasilgo com o seu papel a nível nacional e não vimos nada de errado. Mas não tanto pela circunstância de ser abrantina, apenas nasceu aqui e não me consta que tenha tido algum contributo de relevo na sociedade abrantina em concreto.”

 

Vítor Moura, vereador PSD CM Abrantes

Daí para a crítica recorrente do social-democrata à criação desta nova escola foi um passo. Vítor Moura repetiu que esta escola não fazia falta e que há um gasto de 5 milhões de euros numa escola que não fazia falta. “São cinco milhões que fazem falta em tanta coisa, como nas zonas industriais” apontou o vereador.

Na resposta imediata Manuel Jorge Valamatos rejeitou as críticas e não gostou das contas feitas pelo vereador, porque os cinco milhões que indicou é o valor total pago, mas há uma comparticipação financeira da União Europeia. “Nós não gastámos 5 milhões de euros, gastámos 2 e fomos buscar 3 a fundos da União Europeia.”

Vítor Moura retorquiu a dizer que foi um investimento desnecessário, uma nova escola porque afirmou que há outras escolas que têm muitas salas vazias.

 

Excerto da reunião da CM Abrantes

Celeste Simão, vereadora com o pelouro da Educação, pediu depois a palavra para discordar do vereador do PSD. Indicou que a escola tem 200 alunos e que só quem está por dentro é que sabe como é que as coisas funcionam. E depois acrescentou: “não me venha falar em salas vazias, porque nas escolas de Abrantes temos 270 alunos estrangeiros, de diversas nacionalidades e estamos a acolhe-los da melhor forma que qualquer criança ou aluno que chega a um país.”

Depois mostrou-se incomodada com a posição sobre Maria de Lourdes Pintassilgo, quando disse que “não deu contributo para a sociedade abrantina, mas deu a nível nacional e internacional. Quer mais que uma mulher que deixa o pensamento sobre como cuidar do futuro.”

Celeste Simão, vereadora Educação CM Abrantes

Seja como for a agora Escola Básica Maria de Lourdes Pintasilgo tem 200 alunos de Jardim de Infância e do Primeiro Ciclo, está a funcionar desde setembro, arranque do ano letivo, e deverá ser inaugurada em breve, de acordo com a indicação do presidente da Câmara de Abrantes.

Partilhar nas redes sociais:
Partilhar no X