PSD: Jorge Gaspar arrancou caminhada para a liderança distrital em Abrantes (C/ÁUDIO)

11/07/2022 às 17:47

Jorge Gaspar, militante do PSD no Cartaxo, anunciou a candidatura à liderança distrital do partido. E neste desafio conta já com um apoio de peso, Vasco Estrela, que será o candidato a primeiro vice-presidente. E no que diz respeito a nomes é para já o único confirmado porque, como afirmou o próprio candidato a líder da distrital laranja mais importante do que ter um conjunto de nomes é ter uma proposta, um projeto, um programa de trabalho.
Após ter apresentado a sua candidatura o candidato veio a Abrantes no final da semana passada e ganhou outro apoio. O líder da concelhia de Abrantes, José Moreno, manifestou a sua posição, ao lado desta candidatura. Jorge Gaspar esteve presente num jantar em que estiveram presentes os militantes que, em grande parte, fazem parte das estruturas locais do partido.

Aos jornalistas o candidato a líder da distrital social-democratas disse que antes de ter apresentado publicamente a candidatura ligou ao atual presidente da distrital, João Moura, a dizer que iria lançar-se neste movimento. Depois, garantiu, esta é uma candidatura para ir até ao fim, ou seja, não haverá uma qualquer desistência a meio do caminho, mesmo que ainda não haja uma data concreta para as eleições para a Comissão Política Distrital do PSD.

“O PSD está numa fase de mudança e essa mudança não deve acontecer apenas na comissão política nacional. O partido tem problemas internos que tem de resolver, tem de ter uma ação política menos centrada nas lógicas do partido e mais virada para o exterior, para os cidadãos, para as empresas”, afirmou Jorge Gaspar, insistindo que tem de olhar “para os problemas concretos dos cidadãos.” Depois, acrescentou, este arranque em Abrantes pretende simbolizar isso mesmo, estar com militantes, estar com esses militantes no terreno, próximo dos seus problemas. “Estivemos no Pego, numa visita à Central, uma infraestrutura que está numa fase de reconversão. A energia é, também, um problema do país. Estivemos no Tramagal para demonstrar o nosso apoio aos bombeiros, autarcas (independentemente da sua ideologia partidária) no sentido de que vem aí tempos difíceis.”

Há nesta candidatura de Jorge Gaspar uma intenção de percorrer todos os concelhos, junto de todas as concelhias e muito perto dos militantes para perceber os reais problemas da região.

 

Jorge Gaspar

Neste momento o candidato ainda não tem uma equipa formada ou não andou, segundo disse, a “espalhar” convites a militantes. Para além dele próprio há mais um nome oficializado. Vasco Estrela, atual presidente da Câmara Municipal de Mação, avança como primeiro vice-presidente. Jorge Gaspar explica que foi “com muito gosto” que viu este convite a ser aceite. Para já não há mais nomes, mas espera que a lista vá crescendo ao longo do verão.

 

Jorge Gaspar

Jorge Gaspar reafirmou que não tem nada contra o atual líder ou contra a atual comissão política. E vincou que fez questão de lhe ligar ainda em março a explicar que iria avançar com uma candidatura. “É uma candidatura pelo PSD e não contra ninguém. Naturalmente se me candidato é porque julgo que tenho condições de ter melhores resultados para o partido.” Nesta linha reforçou que o PSD tem de se aproximar mais das pessoas, dos cidadãos.

Jorge Neves disse ainda que, em relação às autárquicas de 2021, o partido não teve um resultado assim tão mau. E destacou a vitória no Cartaxo onde “roubou” a Câmara aos socialistas. Mas há um ponto que diz ser essencial nesta sua visão. Trata-se de um contacto permanente com a estruturas concelhias. “Teria de tornar regionais as causas e os problemas que são concelhios. Só ao regionalizá-las é que se consegue dar força, lhes consegue dar visibilidade para conseguirem ser resolvidos ao nível legislativo, no governo ou na Assembleia da República.”

Há ainda um facto que o candidato a líder distrital considera muito importante. É que durante o mandato da distrital que for eleita agora não há, no calendário normal, nenhuma eleição, local ou nacional. E isso, de acordo com o social-democrata, é fundamental “porque as eleições consomem o partido e não lhe dá tempo nem espaço para trabalhar, internamente, as mudanças que são necessárias. Quanto às autárquicas há uma necessidade de acompanhamento permanente de todas as concelhias para fazer a preparação dos atos eleitorais locais.”

 

Jorge Gaspar

Jorge Gaspar acha que tem condições pessoais, profissionais e políticas para liderar a comissão política distrital. E depois porque sente a capacidade de arregimentar pessoas para projetos e objetivos comuns constitui outro fator para dar esse contributo ao partido.

Jorge Gaspar disse ainda que as equipas devem ser criadas em função do mapa geográfico do território. Mas também, e fundamentalmente, em função “da capacidade que cada um desses representantes desses territórios tenha a dar para o projeto.” Salientou que disse ao Vasco Estrela, no dia que o convidou para vice-presidente, que: “prefiro saber porque perdi, se perder, do que as pessoas saberem como é que ganhei, se ganhar.” E concluiu ao referir que “a qualidade dos projetos é muito importante.”

 

Jorge Gaspar

Vasco Estrela, candidato a primeiro vice-presidente da lista de Jorge Gaspar, começou por agradecer o convite e destacou a forma como está a ser construído o projeto. E explicou porquê: “faço parte de uma concelhia pequena por isso não tenho um saco de votos. Não fui convidado pelo saco que votos que tenho no Mação e, desse ponto de vista, fico satisfeito.”

Por outro lado, explicou que há uma grande necessidade de dar um abanão no PSD a nível distrital. “É preciso haver uma muito maior proximidade com os eleitos locais, com as concelhias e os problemas serem mais apreendidos por aqueles que lideram a comissão distrital, porque se tem sentido um grande distanciamento”.

E depois disse que há causas públicas que o PSD tem de agarrar. E avançou com um exemplo, quer para o Médio Tejo, quer para a Lezíria, e que tem a ver com a falta de médicos de família. “Naturalmente que sabemos que é problema transversal, mas também um problema local com especificidades em cada concelho. O PSD deve ter uma voz para nós, autarcas, e para os cidadãos. Falo de outro problema que estamos a viver e que são os fogos florestais.”

O Jorge Gaspar personifica, afirmou Vasco Estrela, uma pessoa “que quer estar próxima.”

 

Vasco Estrela

A primeira ação de pré-campanha desta candidatura foi em Abrantes e José Moreno Vaz, presidente da concelhia deste concelho, anunciou o apoio a Jorge Gaspar. Começou por dizer que este processo foi iniciado de ter contactado com o atual presidente, João Moura. Depois, disse ter sido convidado com outros companheiros para esta ideia que está patente na candidatura e revelou a necessidade de toda esta região norte do distrito precisar de ter um olhar diferente e um protagonismo mais vincado dentro do partido. E José Moreno Vaz falou dos vários concelhos que têm uma necessidade de ter uma estrutura partidária muito mais presente nos seus problemas.

 

José Moreno Vaz

Jorge Gaspar iniciou, em Abrantes, esta caminhada de percorrer todo o distrito num trajeto de pré-campanha eleitoral por forma a construir uma equipa e um projeto que depois constituirá um programa eleitoral para as eleições distritais. Jorge Gaspar deixou duas garantias. Que esta candidatura não é contra ninguém, é pelo PSD. E que está na corrida para ir até ao fim, ganhe ou perca.

Galeria de Imagens

Partilhar nas redes sociais:
PUB
Capas Jornal de Abrantes
Jornal de Abrantes - novembro 2022
Jornal de Abrantes - novembro 2022
PUB