Antena Livre
Deseja receber notificações?

Médio Tejo: Proteção Civil com 6 Milhões de Investimento em equipamento (c/áudio)

4/04/2024 às 17:03

O Médio Tejo vai investir 6 Milhões de Euros em equipamentos para alocar à Proteção Civil do Médio Tejo. Trata-se de uma decisão dos autarcas dos 11 municípios que integram esta região que entenderam ser necessário haver uma série de equipamentos que sirvam toda a região, em caso de necessidade.

Já se sabia que esta candidatura ITI (Investimento Municipal Integrado) ao programa Portugal 2030 tinha avançado e que a oficialização da mesma deverá acontecer na próxima segunda-feira, dia 8, altura em que a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Centro vai contratualizar os diversos projetos no Médio Tejo.

A Antena Livre sabe que esta candidatura foi aprovada, terá um envelope financeiro de 80% dos projetos, ou seja, um financiamento que rondará os 5 Milhões de Euros.

Na abertura do seminário Proteção Civil - Patamar Local, que decorreu em Tomar, o vice-presidente da CIMT, Vasco Estrela, indicou que no Portugal 2030, “foi decido alocar uma verba de 5 milhões de euros para equipamentos para a proteção civil nos 11 concelhos, o que será um investimento superior a 6 milhões de euros.”

E depois acrescentou que foi ainda decidido “ter equipamentos para serem partilhados pelos municípios nesta região.” Quer isto dizer que os equipamentos em causa, que serão conhecidos para a próxima semana, serão entregues a uma corporação de Bombeiros, mas ficam adstritos às necessidades operacionais do Médio Tejo e não apenas desse concelho.

À Antena Livre o vice-presidente da CIMT não adiantou mais pormenores, apenas referiu que “alguns concursos serão lançados ainda este ano.”

E depois concluiu a dizer que espera que os mesmos tenham pouca utilização, “mas temos o equipamento para poder servir a população.”

 

Vasco Estrela vice-presidente CIMT

Vasco Estrela defendeu que há um caminho que tem de ser percorrido para a intermunicipalidade e não apenas na Proteção Civil. Ao nível de sub-região pode haver mais escala para determinadas áreas, como seja, por exemplo, o serviço de transportes públicos.

David Lobato, comandante Sub-regional da Proteção Civil, quanto questionado sobre esta decisão, começou por dizer que a CIMT “é muito à frente”, numa alusão a esta decisão que coloca o Médio Tejo na ‘pole position’ do financiamento à Proteção Civil. O comandante operacional referiu que esta matéria já estava a ser abordada quando ainda havia um comando distrital e ganhou ainda mais força quando em 1 de janeiro de 2023 o distrito passou a ter dois comandos sub-regionais.

David Lobato também não adiantou quais os equipamentos, mas disse esperar haver uma parte deste investimento para os equipamentos de proteção individual.

 

David Lobato, comandante Sub-regional ANEPC Médio Tejo 

O Comando Sub-regional do Médio Tejo opera num território com 11 municípios, 14 corpos de bombeiros, sendo que Ourém tem três (Ourém, Fátima e Caxarias) e Alcanena dois (Alcanena e Minde) enquanto os outros 9 municípios têm uma corporação.

O território tem 80 freguesias, cerca de 210 mil habitantes, uma área de 2.716 km2, com uma densidade populacional de 77 habitantes por km2.

O Comando Sub-regional da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil está localizado em Praia do Ribatejo.

Partilhar nas redes sociais:
Partilhar no X