Município Abrantes
PUB

Tejo Ambiente atualiza estudo viabilidade e sobe tarifário da água, saneamento e resíduos (C/ÁUDIO)

10/06/2022 às 11:12

A Tejo Ambiente avançou com uma atualização do Estudo Viabilidade Económica e Financeira por forma a criar o equilíbrio necessário nas suas contas para evitar uma dissolução obrigatória com três anos seguidos de prejuízos,

Luís Albuquerque, presidente da Câmara de Ourém e presidente do Conselho de Administração da Tejo Ambiente, sustentou o trabalho feito desde que a empresa intermunicipal iniciou a gestão do abastecimento de água a Tomar, Mação, Sardoal, Barquinha e Ferreira do Zêzere e a gestão de águas residuais e resíduos sólidos urbanos nestes cinco concelhos e em Ourém.

Esta reavaliação do Estudo Viabilidade Económica e Financeira pretende alterar tarifários para evitar a dissolução da empresa, tanto mais que o plano já foi aceite pela ERSAR (Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos) e é vinculativo.

O plano prevê um aumento de investimento de 4 milhões de euros de imediato, tem como objetivo baixar dependência dos fornecedores em alta, principalmente da Águas de Portugal. Há ainda a disponibilidade de viatura para recolha de águas residuais de fossas pelo que os munícipes vão pagar a taxa de saneamento, mesmo sem acesso à rede.

Contas feitas, nos cinco concelhos com os três serviços a fatura de ambiente vai ter um aumento de 4,81 euros para o consumo de água médio mensal de 10 metros cúbicos, dividido da seguinte foram: água 2,8 euros, águas residuais 1,70 e resíduos sólidos urbanos 0,30 euros.

Luís Albuquerque, presidente CM Ourém

Luís Albuquerque explicou depois os prazos para a entrada em vigor deste plano que terá de ser aprovado por todos os executivos e assembleias municipais

Luís Albuquerque, presidente CM Ourém

Anabela Freitas, presidente da CM de tomar vincou os investimentos que já foram feitos e os muitos que ainda há para fazer. Mas neste plano só o tarifário não chega

Anabela Freitas, presidente CM Tomar

Luís Albuquerque deixou claro que os seis concelhos, representados pelos 6 presidentes das Câmaras Municipais, estão alinhados e que a viabilidade da Tejo Ambiente é fundamental para o futuro deste território

Luís Albuquerque, presidente CM Ourém

De notar que, em jeito de balanço, Luís Albuquerque explicou que antes da Tejo Ambiente havia 210 trabalhadores afetos a estas três áreas. Apenas 90 passaram para a Tejo Ambiente e, hoje, são apenas 60. Há falta de mão de obra na região pelo que houve dificuldade em contratar trabalhadores.

De notar que a entrada da Tejo Ambiente na gestão ambiental destes concelhos permitiu a Tomar e Ferreira a diminuição dos preços de água, mas de notar que a empresa intermunicipal ainda não fatura em tomar o que os serviços municipalizados de Tomar faturavam.

No abastecimento de água foi nos municípios de Ferreira do Zêzere e Tomar que se registaram as maiores descidas do tarifário. No saneamento de águas residuais, Tomar foi o único município a registar uma descida no tarifário, sendo que nos restantes municípios se verificou um aumento da tarifa. Já nos resíduos sólidos urbanos os municípios que registaram uma descida neste tarifário foram Vila Nova da Barquinha, Ferreira do Zêzere e Tomar, sendo que nos restantes municípios se verificou um aumento da tarifa.

Na análise feita por concelho, o quadro é o seguinte: Ferreira do Zêzere – aumentou o deficit da exploração dos serviços; Mação – reduziu o deficit da exploração dos serviços, mas mantém-se deficitária a exploração; Ourém – não só resolveu o deficit da exploração dos serviços, bem como tem agora um resultado equilibrado; Sardoal – diminuiu o deficit de exploração dos serviços, mas mantém-se deficitária a exploração; Tomar – reduziu ligeiramente o deficit da exploração dos serviços, mas a exploração mantém-se deficitária; Vila Nova da Barquinha piorou o resultado da exploração dos serviços, pois em 2019 era positivo, tendo agora passado a deficitário.

Houve também um trabalho de aplicação de medidas corretivas, por exemplo, na redução de chamadas não atendidas na empresa. As chamadas não atendidas caíram para 9% o que é uma melhoria significativa.

Noutro campo houve uma redução da percentagem de água não faturada, reduzindo custos com a ineficiência. “A percentagem de água não faturada no perímetro de atuação da Tejo Ambiente era de 52,2% em 2019, tendo esta percentagem sido reduzida para 51,6% em 2020 e para 46,5% em 2021, tendo como objetivo atingir 30% de água não faturada já nos próximos anos. O município onde se registou o melhor desempenho foi o de Mação, com uma redução de água não faturada efetiva superior a 15%.”

A substituição contadores por antiguidade foi outro processo em que há um melhor controle. Havia mais de 24 mil contadores, de um universo de 42 mil, com mais de 12, quando o tempo de vida útil aponta aos seis anos.
Deteção de fugas na rede de água também foi melhoras, com a criação de uma equipa especializada em detetar pequenas roturas. E também o tempo de reparação destas roturas diminuiu.

Nas obras previstas para a rede de águas nos seis concelhos, programa vai ficar 100% concluída com dois concursos que vão avançar este mês, ambos no concelho de Mação.

O aumento do montante de investimento (relativamente ao plano de investimentos anterior), a curto prazo, é de cerca de 4M€, num valor global acumulado de 42,4M€, até final de 2024. Este investimento, de acordo com a empresa, será distribuído na renovação dos emissários da ribeira de Seiça e da ETAR do alto Nabão; no aumento da taxa de cobertura das redes de saneamento de águas residuais e abastecimento de água; na renovação de redes de saneamento de águas residuais e abastecimento de água; na renovação e beneficiação de reservatórios; na execução de captações novas; com a aquisição e substituição de contadores; na implementação de sistema de gestão de perdas; no desenvolvimento de mecanismos de telegestão e implementação de ZMC e VRP.

Em termos de obras foram aprovadas 23 operações, total de investimento de 29 milhões de euros e co-financiamento contratado de 14,5 milhões de euros, ou seja, 100 % de sucesso.

Partilhar nas redes sociais:
PUB
Capas Jornal de Abrantes
Jornal de Abrantes - junho 2022
Jornal de Abrantes - junho 2022
PUB