Antena Livre
Deseja receber notificações?
CIMT
PUB

IPMA: Junho foi o mês mais quente de sempre

7/07/2023 às 16:03

O mês de junho de 2023 foi o mais quente de sempre a nível global. A informação foi avançada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que revela que temperatura média global em junho foi 0.53 °C superior ao valor médio 1991-2020 e superando o junho de 2019 o anterior mais quente. Esta é uma das conclusões do boletim climatológico de junho.

De acordo com o IPMA, na Europa o valor médio da temperatura média do ar foi superior ao valor médio 1991-2020 (0.74 °C).

 

O mesmo relatório indica que houve um registo de temperaturas recordes no noroeste da Europa. As maiores anomalias foram registadas na Irlanda, Reino Unido, Bélgica e Holanda que tiveram o junho mais quente de sempre. Também há registos em França e Escandinávia a registar valores muito acima da média. Já na Península Ibérica também manteve-se o registo de valores acima do normal.

Em contraste, o sul dos Balcãs, Grécia, Turquia e oeste da Rússia foram mais frios do que a média.

Já no que diz respeito à precipitação na Europa, verificaram-se condições mais húmidas do que a média na maior parte do sul da Europa, oeste da Islândia e noroeste da Rússia; fortes precipitações levaram a inundações na Turquia, Kosovo e Roménia. Por outro lado, verificaram-se condições mais secas que a média numa grande faixa de oeste a leste na Europa Central e Oriental e na Escandinávia, bem como na costa oeste do Mar Negro.

Quanto a Portugal continental, o mês de junho de 2023 classificou-se como muito quente em relação à temperatura do ar e muito chuvoso em relação à precipitação.

Foi o 5.º maio mais quente desde 1931 (mais alto em 2004, 23.25 °C) com o valor médio da temperatura média do ar A REGISTAR 21.92 °C, mais 2.49 °C em relação ao valor normal do período de 1971 a 2000.

O valor médio da temperatura máxima do ar, 28.03 °C, foi superior ao valor normal, mais 2.68 °C corresponde ao 9.º valor mais alto desde 1931. Já o valor médio da temperatura mínima do ar 15.80 °C foi + 2.31 °C superior à normal, sendo o 3.º mais alto desde 1931.

Ainda de acordo com a mesma nota do IPMA, durante o mês verificaram-se, valores diários da temperatura do ar, acima do valor médio mensal. Destaca-se o período muito quente de 23 a 30 com 4 dias consecutivos (23 a 26) com desvios da temperatura máxima superiores a 7 °C e da temperatura mínima superiores a 5 °C. Ocorreu uma onda de calor com duração de 6 a 7 dias que abrangeu as regiões do interior Norte e Centro e a região Sul.

Em relação à precipitação, nota o IPMA, registou-se um total de 47.9 mm que corresponde a 149 % do valor normal, sendo o 3º valor mais alto desde 2000. Durante o mês destaca-se a primeira quinzena que esteve sob condições meteorológicas caraterizadas por instabilidade atmosférica, com destaque para as regiões do Norte e Centro e em particular as zonas interiores.

O mesmo relatório dá conta que o o índice de seca PDSI, no final de junho registou-se uma diminuição da área em seca meteorológica e da sua intensidade. As áreas em seca severa e extrema diminuíram nas regiões do vale do Tejo e do Alentejo, no entanto, na região do Algarve aumentou a área em seca extrema. A 30 de junho 85 % do território estava em seca meteorológica, dos quais 26 % estava nas classes de seca severa e extrema.

 

Partilhar nas redes sociais:
Partilhar no X
PUB
Capas Jornal de Abrantes
Jornal de Abrantes - julho 2024
Jornal de Abrantes - julho 2024
PUB